Segunda-feira, 30 de Maio de 2011

A ORTOGRAFIA NÃO VAI A VOTOS

  “Apesar das resistências que provocou e ainda provoca, o Acordo Ortográfico (AO) não entrou na campanha. Ninguém o discute. Nenhum programa eleitoral adoptou o novo acordo ortográfico.

   Os que o defendem, dão-no por adquirido; os outros, os que ainda lhe resistem, talvez o vejam como facto consumado. A verdade, sintomática, é que nenhum (NENHUM!) dos partidos a ele recorreu para a escrita dos seus programas eleitorais. 
   Até o PS, seu ardoroso paladino, apesar de no ponto 10 do programa eleitoral dizer que é preciso promover a identidade cultural “consolidando a aplicação do Acordo Ortográfico em Portugal e nos países da CPLP” (é o único partido que fala explicitamente no AO, aliás) escreve, por exemplo, “vectores” e não “vetores”, “actividades e não “atividades”. 
   O BE cala-se sobre o tema e o PCP diz que é preciso “promover a expansão e qualificação do ensino da Língua e Cultura Portuguesas”, mas escrevem ambos “objectivo” e não “objetivos”; “actual” e não “atual”, “sectores” e não “setores”, “trajectória” e não “trajetória”, “optimista” e não “otimista”.
   O CDS, que fala da língua portuguesa em mais do que um ponto do seu programa, ora como argumento para manter um canal público de televisão ora para dizer que, junto com o património imaterial, ela é um factor de “afirmação de Portugal”, escreve “directo e não “direto”, “tecto” e não “teto”, “electrónica” e não “eletrónica”. 
   E o PSD, que no seu extenso programa fala em “promover novas formas de apoiar o ensino português como língua materna”, escreve “directiva” e não “diretiva”, “acção” e não “ação”, “selecção” e não “seleção”. 
   Ou seja, a nenhum deles se mostrou imperioso ou sequer útil, mesmo que por estritas razões ideológicas, o recurso à “novilíngua” patrocinada por Malaca & Bechara. E se a ortografia, na variante falsamente “moderna” que por aí circula como válida, não vai a votos, melhor seria que a metessem noutra urna. E a lançassem… talvez ao mar”.

Texto interessante de Nuno Pacheco, in Jornal Público.

publicado por cagido às 22:57

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
31

.posts recentes

. A ORTOGRAFIA NÃO VAI A VO...

.arquivos

. Julho 2018

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Novembro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds